6.4.12

Mali tudo resolvido

Talvez a crise do Mali esteja resolvida. As decisões parecem ter sido tomadas ao mais alto nível: os islamitas radicais perdem fulgor e a população não gostou da imposição da sharia ou charia. O MNLA moderou-se, declarou cessar-fogo unilateral e os canais de televisão internacionais transmitem agora declarações dos seus porta-vozes e trazem-nos aos noticiários, indo alguns de gravata já. A junta está cada vez mais isolada e como o seu único alibi - a revolta no Norte - está ultrapassado vai cair mais depressa, não sendo necessário fazer uma intervenção militar para obrigá-los a deixar o poder.


Respiramos de alívio e ainda bem que é Páscoa.


Uma pergunta só, relativa ao que há de mais estimulante nisto: como vão povos e elites que se reclamam nómadas do deserto construir um Estado, que é a instituição mais sedentária que existe? É um desafio que, se calhar, também vai desaparecer: provavelmente fazem mesmo um Estado, daqueles impossíveis, paupérrimos, mas em que o dinheiro chega para as gravatas e as viagens da elite para fora do país. E há perigos então: traficantes com carta branca (incluindo latino-americanos), Estados chavistas com uma lança em África (que financiavam livros e mais propaganda a favor do MNLA e de poetas touaregs desde que falassem mal da França e dos EUA), refúgio para os líbios órfãos, etc. Com algum restinho de dinheiro líbio a ajudar e não só, que nisso de Estados nómades o Coronel berbere tinha a sua experiência - ou, pelo menos, aparência...



No comments:

Post a Comment