13.4.15

Putin humanitário vende mísseis ao Irão

Putin e Lavrov descobriram-se de repente muito preocupados com a situação no Iémen. Quando os Houtis tomaram à força o poder e ocuparam zonas onde são minoritários ou quase não existem, a Rússia estava calada. Quando os Houtis desceram para Aden e começaram a conquistar a cidade, onde não são maioria nem nada que se pareça, bombardeando, alijando mais uma vez o Presidente legal da sua residência, obrigando-o a fugir e instaurando na prática um novo poder sem o consentimento das populações, a Rússia calou-se. Não se preocupou com as vítimas dessas conquistas e invasões, nem com os injustiçados, nem com a situação humanitária de ninguém.

De repente vem Lavrov, pondo aquele ar de senhor muito sério que põe cada vez que vai mentir com todos os dentes, entre urso ameaçador e ditador cínico, e desata aos pedidos de cessar-fogo, preocupado com a crise humanitária, sugerindo diálogos.

O que se passou para essa súbita preocupação se manifestar com tanta veemência? duas coisas:

Primeira: a Arábia Saudita finalmente reagiu e começou a reforçar o armamento dos sunitas e do poder legal, ao mesmo tempo em que bombardeava posições xiitas. A preocupação era repor o poder internacionalmente reconhecido e que representa a maioria da população (os houtis não são maioria nem são todos xiitas fanáticos).

Segunda: a Rússia fez um grande negócio de armas com o Irão, aproveitando o desanuviamento trazido pelo pseudo-acordo (na verdade uma intenção de acordo) sobre o nuclear. Leiam a notícia:



Russia Lifts Ban on Advanced Anti-Aircraft Missiles to Iran | Foreign Policy:



'via Blog this'

No comments:

Post a Comment