6.9.14

cinismo internacional


Realmente, era uma obrigação das grandes potências, ao menos, preocuparem-se com o que se passa na Líbia e no Iraque. 

Digo das grandes potências e não do Ocidente. Porque a Rússia também é uma grande potência militar, faz alarde disso, criticou intervenções americanas que, segundo os saudosistas da propaganda soviética remanejada por Putin, estariam na base das situações actuais. No entanto, não propôs nenhuma intervenção para minorar o sofrimento desses povos e países e assim corrigir os erros do 'Ocidente'. Pelo contrário, continua com a sua política de agressão aos vizinhos, protegendo colónias de russos que, após anos de vida em países vizinhos nem sequer se esforçaram por aprender a língua deles e respeitar a cultura desses povos que os acolheram. Nem deixaram de se considerar superiores quando não têm nenhuma razão para isso. 

A verdade é que a Rússia e a China só se lembram do sofrimento dos outros quando é para criticar os EUA  e os aliados 'ocidentais'. Tal como estes só se lembram do sofrimento dos povos quando lhes dá jeito. 

Os povos não têm pais. Ou se seguram ou estão perdidos.



No comments:

Post a Comment