23.12.13

China Ramps Up Intimidation of Media | World Affairs Journal

Não admira, na China vive-se uma ditadura, portanto há muitos limites para a imprensa - que, pelos vistos, estão a aumentar:

China Ramps Up Intimidation of Media | World Affairs Journal

17.12.13

Forced Exodus: Christians in the Middle East | World Affairs Journal



Forced Exodus: Christians in the Middle East | World Affairs Journal:

'via Blog this'

Greve geral de cinco dias na Guiné-Bissau - PÚBLICO


De um governo que não foi feito para governar não admira esta situação. Na Guiné-Bissau, neste momento como em vários outros da sua história, o Estado é apenas um alibi. O que surpreende é esta organização sindical e um povo que, mais uma vez também, apesar de tudo, mostra ter consciência política e sentido de unidade:

Greve geral de cinco dias na Guiné-Bissau - PÚBLICO

Michelle Bachelet ganhou a presidência e diz que o Chile voltou ao “rumo certo” - PÚBLICO


O crescimento das manifestações de estudantes, pedra de toque do combate à presidência Piñera, levou a que Bachelet inscrevesse como tópico principal da sua campanha a Educação. Por isso, no discurso de consagração, ela disse que o próximo Ministro da Educação seria o mais importante do seu governo.

Ela entende que, aumentando as contribuições das empresas, pode promover um ensino gratuito e de qualidade a todos os níveis (do primário ao superior). A pílula é dourada, sem dúvida. Vamos aguardar pelos efeitos: 1) do aumento da contribuição das empresas para o Estado (quem o vai pagar não serão certamente os empresários, mas os preços ao consumidor); 2) de um ensino gratuito sustentado pelas empresas (por exemplo: vamos ver se a qualidade de ensino não vai baixar - uma vez que baixa o investimento pessoal na formação dos filhos e, tendencialmente, a exigência face à prestação dos professores).

Michelle Bachelet ganhou a presidência e diz que o Chile voltou ao “rumo certo” - PÚBLICO

5.12.13

La Suisse se lance dans le business des «cyberbunkers»


Os EUA não espiam porque são maus. Os países todos espiam-se desde que consigam. Os EUA espiam mais porque o fazem melhor e fazem-no melhor graças ao avanço tecnológico dos seus serviços de espionagem. O que se pode ler a partir da hiperligação abaixo pode vir a ser uma resposta. Ao avanço tecnológico se responde com avanço tecnológico, à iniciativa com iniciativa e à imaginação com imaginação. O resto é política de mau pagador:

La Suisse se lance dans le business des «cyberbunkers»:

'via Blog this'